E ontem foi segunda-feira, fui ter com o baby e as coisas não estavam lá muito bem não é verdade amor? E eu sei que fui parvinha no fim-de-semana, que te tratei mal e que não tinha direito de ser assim. Senti-me mesmo má pessoa por te deixar triste e acho que não vou esquecer isso tão cedo. Ninguém tem o direito de te deixar assim, nem mesmo eu. E queria mesmo que soubesses que me sinto muito arrependida de o ter feito e que prometo mesmo que nunca mais volto a ser assim. Não te quero perder, não quero mesmo. E escrever o meu nome em ti, foi mesmo riquinho *.* e encher-te de beijinhos, de miminhos, abraçar-te, foi tão bom *.* ahh, e é bom que saibas que o abraço que me deste assim que cheguei perto de ti foi como se não te visse há semanas e fez-me sentir tão protegida.
Às cinco fomos ver o Ivo ao hospital, com a Mica e com Ricardo, porque ele fazia anos, e fizemos-lhe uma surpresa. Levamos balões, compramos um donut e uma vela que tivemos de escrever lá o número 18, entramos para uma salinha na pediatria e estivemos a preparar tudo para depois que a turma dele saísse, entrarmos nós. O Gil ainda esteve a brincar com um menino e oh, que riquinhos *.* E foi bom ver o Ivo todo feliz com as surpresas que lhe estavam a fazer e sentir que ele gostou da nossa surpresa encheu-me o coração e fez-me sentir ainda mais feliz do que já estava.
Depois por volta das sete saímos de lá e ainda pude estar um bocadinho com o meu amor *.* e quanto a isso, tu já sabes, és louco mas é por isso e por seres o homem da minha vida e por me fazeres feliz, que eu te amo imenso. Não me vou esquecer tão cedo dos minutinhos de ontem e ainda morro a rir sempre que me lembro **
Viemos embora no bus das oito e fiquei a conversar com o Vitor antes de vir para casa, e ele é a prova que as amizades se forem verdadeiras resistem a qualquer coisa. :))